Editorial 26 de setembro de 2017

Companheiros, enquanto corta gastos na área social e retira direitos dos trabalhadores, o governo continua se mostrando uma mãe generosa para os empresários que seguem rindo de orelha a orelha. Em uma reunião ontem à noite no Palácio do Planalto com líderes do governo na Câmara dos Deputados e técnicos da Fazenda, o presidente Temer decidiu contrariar o seu ministro da fazenda, picado pela mosca azul e pretenso candidato ao “trono” em 2018 e cedeu, mais uma vez, à pressão dos empresários e dos deputados insaciáveis. Incomodado com a faca afiada no pescoço em mais uma denúncia criminal, que pode afastá-lo do jogo do poder, o presidente abriu de lona e prometeu que dará mais vantagens no projeto que renegocia a dívida dos empresários, o chamado REFIS. Pelo que ficou combinado na calada da noite, os empresários terão mais prazo para amortizar dívidas, juros reduzidos, enfim, terão condições de pai para filho. Um verdadeiro prêmio àqueles empresários sonegadores, que, sistematicamente, descumprem à lei e não pagam o INSS dos seus funcionários, não fazem o depósito do FGTS, não repassam para a Receita Federal o imposto pago pelo trabalhador para o imposto de renda, enfim, que não pagam nenhum imposto em dia, esperando a hora da anistia do governo para barganhar como e quando pagar. Uma vergonha nacional. Enquanto isso, o trabalhador no sufoco vê o seu minguado salário ser sugado por uma carga tributária injusta e covarde, que toma na mão grande do pobre para enriquecer ainda mais os que estão no topo da pirâmide econômica, fazendo com que a desigualdade social neste país seja indecente e a cada dia mais alarmante. Pensem nisso e tenham um bom dia.

Eusébio Pinto Neto – presidente da Fenepospetro

 

porn Porn