Editorial 14 de setembro de 2017

Companheiros, em meio ao cipoal de flechadas contra o governo e protestos por todos os lados, uma notícia alentadora nos chama a atenção e nos dá um fio de esperança. Segundo a empresa de pesquisa Manpower Group, a expectativa de contratação neste quarto trimestre de 2017 cresceu 1%. O melhor resultado deste 2015. Segundo a pesquisa, cerca de 12 % dos empregadores pretendem contratar neste fim de ano, enquanto a esmagadora maioria, 69%, pretende deixar tudo como está para ver como é que fica. Na Construção civil, a mais destruída pela crise, começa um tímido movimento de contratação. O mesmo acontece na indústria automobilística, em que algumas montadoras começaram a ensaiar pisar no acelerador, embora com a ponta do dedo, mas já recontratando alguns de seus ex-funcionários que batiam ponto na rua da amargura. Anteontem em Brasília, no encontro que tivemos com o presidente da República e o ministro da Fazenda, nós sindicalistas e empresários, entregamos um documento com sugestões emergenciais para sairmos desta crise colossal, que miserabiliza e atormenta milhões de lares brasileiros. Sabemos que esta recuperação é muito tímida, ainda mais, diante da gravidade do momento que atravessamos. Por isso entendemos que o governo precisa analisar e colocar em prática, urgentemente, as medidas propostas por nós sindicalistas e empresários para que uma década de esforço e muito trabalho para o desenvolvimento do país não seja jogado integralmente no lixo. Pensem nisso e tenham um bom dia.

*Eusébio Pinto Neto, presidente da Fenepospetro

porn Porn