Empresários e sindicalistas procuram afastar impressões de apoio a Temer

O presidente Michel Temer recebeu nesta terça-feira (12) sindicalistas e empresários no Palácio do Planalto. Ouviu uma série de propostas e reclamações por conta de obras paradas, juros altos e falta de crédito para o consumidor final.

O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, defendeu que o momento é de deixar as diferenças de lado e trabalhar pela convergência. Ele evitou comentar, no entanto, as recentes denúncias contra o presidente Michel Temer: “não somos polícia, Justiça e nem Ministério Público não cabe a nós discutirmos isso”.

O deputado Paulo Pereira da Silva, presidente da Força Sindical, adotou esse mesmo discurso e deixou muito claro que seu partido, o Solidariedade, não está se comprometendo com a defesa do Governo: “hoje não estamos discutindo isso. Meu partido vai tratar no Congresso”.

O presidente nacional da CTB, Adilson Araújo, garantiu que não cabe aos sindicatos defender o presidente Temer e sim que o Governo precisa resolver o problema da população: “o Governo tem problemas, mas o povo brasileiro também tem problemas”.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, garantiu que a economia está dando sinais claros de recuperação e que os problemas políticos não estão interferindo: “uma das coisas que aprendi na minha vida profissional é que quando se vai trabalhar com evolução da economia é importante ver o que os números estão dizendo. Os mercados estão acreditando no desempenho da economia brasileira”.

O ministro se mostrou otimista com relação a um acordo para um novo texto do Refis. Que segundo ele, não incentive a sonegação de impostos no País.Jovem Pan

 

porn Porn